Mardita Escola

Trabalhos escolares estão naquela enorme lista de coisas totalmente dispensáveis, que incluem, em especial, o Imposto de Renda, a Alfândega e os óculos de sol. Pelo menos era o que eu pensava, até hoje de manhã.

Bom, a tarefa era simples. Eu, o Enzo, o Marcos e o Thiago devíamos entrevistas um administrador de um Serviço Social. Então, durante longos dez minutos nós nos reunimos para pensar: Onde posso encontrar um serviço social em São Paulo?

São Paulo, como você deve saber, é uma cidade do interior com pouco mais de cem habitantes, cuja média de idade é oitenta e oito anos, e todas as velhinhas se chamam Teresa. O que torna a missão de achar um serviço social tão difícil como a de limpar a fralda da Dona Clotilde.

Caso você não tenha faltado nas suas últimas oitocentas e vinte aulas de Geografia, deve saber que o parágrafo acima foi escrito de forma irônica, com objetivo de fazê-lo rir. Então, basicamente, há UM MONTÃO de serviços sociais, cabendo a nós, uma trupe de retardados, a árdua missão de escolher uma delas.

Como ia dizendo antes de você me interromper, pensamos um pouco, e escolhemos os Alcoólicos Anônimos, uma ótima escolha, afina, sempre quis participar duma reunião do AA.

Então lá fomos nós. Os cem metros (Que, segundo o Enzo, foram oito quilómetros) mais toscos da minha vida, com direito a conversa sobre a beleza da ‘mina’ do Níglio. Chegamos a Sede do AA. Fomos direto no portão, procuramos enfadonhamente (?) uma campainha, que, oito minutos mais tarde, perceberíamos não existir. Não sabemos por que, mas andar cem metros atoa nos pareceu muito engraçado.

Por isso, resolvemos que nossa próxima parada seria na creche do nosso colégio. Porém, entretanto, todavia, nosso coléga Marcos resolveu que a creche não era um bom lugar. Então fomos a Igreja. Acredite, essa merda ficava longe.

A maior caminhada que um nerd sedentário já teve que fazer, sem nenhuma pausa pra usar um gadget legal.

Chegando na Igraja, entramos pela porta da frente (O que você esperava? Do’h), e avistamos um exército de pessoas extremamente desocupadas cantando músicas católicas e gesticulando. Da mesma forma que os jogadores de Wii fazem, entende? Ótimo. Quando virei as costas notei a ausência do Thiago. Em seguida descobrimos que ele estava lá, dançando com os desocupados. Ou não. Enfim. Tentamos sair do recinto. Não sem antes sermos atacados por uma mulher tentando nos converter, de forma realmente assustadora.

Fomos até a secretaria da igreja (Acredita que isso existe?) e, finalmente, entrevistamos um cara muito gente boa. Que nos contou coisas muito interessantes. Mas como essa parte não tem graça nenhuma, deixarei você imaginando.

Anúncios

4 Respostas para “Mardita Escola

  1. Eu te odeio (:

    E as velhinhas chama o que ?

    P.S.: não reclama, o Lizaneas tá ficando cada dia mais caduco.

  2. hsuahusahasuhu

    manu eu andei pakas
    kra sem noção nem sei como eu ainda to vivo……
    manu mto loko o trabalho eim …..

    e sem comentaios sobre a mina do niglio ……. nem o kpeta se atreve de pega….

  3. o trab mas loko q eu fiz pra escola huahuahua
    fomos no AA e na igreja onde velhinhas tentaram nos converte XD
    falando de assuntos interessantes (aham)…..

  4. Vejam a qualidade do português dos meus colegas…

    Brinks (:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s